12ª Cinedocumenta – 2017

 

A 12ª edição da Mostra de Cinema Documentário trouxe como como tema “Diversidade de Amar, um convite a reflexões sobre as formas de amor”, segundo definição de Éderson Caldas, idealizador e realizador da Mostra. Segundo destaca, o cinema antecipou a liberdade de amar. “Deu-nos o legado de Brigitte Bardot, Pasolini e Almodóvar, entre muitos outros que nos fizeram redimensionar os padrões da sexualidade e do amor na sociedade ocidental. Quebraram tabus evitando que as diversidades do amar humano não fossem profanadas e sufocadas por regras castradoras de uma moral desumana. Com o tema Diversidade de Amar, vamos celebrar todas as maneiras de se viver o amor exibindo filmes que ampliam os horizontes da sociedade contemporânea para a necessidade de se defender intransigentemente todas as formas de amar. A intolerância tem sido um mal do nosso tempo. Cinedocumenta é um grito contra esse sentimento”, sublinhou. Além da exibição de filmes sobre o tema proposto, como Pitanga e Manifesto Porongos, obras  de abertura do evento, e Divinas Divas, a Cinedocumenta dedicou a projeção de “Luiza” na telona do Teatro do Centro Cultural Usiminas aos alunos da Apae. “Colegas” também foi  atração da Sessão Cinema Eficiente, promovida a cada edição da Mostra. Uma oficina sobre produção de documentário completou a programação da 12ª Cinedocumenta. A aula foi ministrada pelos cineastas e jornalistas Sávio Tarso e Nilmar Lage, e teve  como público-alvo alunos da rede pública de ensino de Ipatinga.