Filmes exibidos na Cinedocumenta ganham projeção na UFSB

Registro da sessão de exibição de A vida não basta feito pelos alunos do curso de artes da UFSB

Registro da sessão de exibição de A vida não basta feito pelos alunos do curso de artes da UFSB

Inspirada na Mostra de Cinema Documentário de Ipatinga – Cinedocumenta, Vitória Barreto, estudante de Bacharelado interdisciplinar em Artes, na Universidade Federal do Sul da Bahia – UFSB, acaba de promover no educandário uma sessão de cinema comentado. O objetivo, segundo destaca, foi despertar os colegas para o cinema documental.

O primeiro filme escolhido por Vitória foi A vida não basta, de Caio Tozzi. “Logo que fizemos contato com o diretor, prontamente ele se dispôs a enviar o filme pra gente, e agradeceu pela escolha de sua obra. Assim que recebemos o longa, exibimos na sala de aula. Minha professora de Componente Vocacional em Artes, doutora em estudos literários, Cinara Araújo, comentou que nunca havia assistido a um filme com os alunos sem ter visto a obra antes de ser exibido em classe, mas amou o trabalho de Caio Tozzi”, recorda a universitária, uma apaixonada pela Cinedocumenta, como ela se declara.

O longa-metragem foi exibido há cerca de um mês, e Vitória já está programando uma videoconferência com Caio Tozzi para este semestre.

Segundo ela, o sucesso da exibição de A vida não basta motivou a sequência das sessões inspiradas na Cinedocumenta. Para este ano, ela  já se organiza para a exibição de Caramujo-Flor, de Joel Pizzini, inspirado na obra de Manoel de Barros.

Para Vitória, o desafio inicial foi vencido, exibir filmes não hollywoodianos, quebrando a resistência que há em relação  às produções que se apoiam na criatividade, mais do que nas técnicas de produção.

Para o diretor da Cinedocumenta, Éderson Caldas, casos como esse reafirmam a importância da Mostra, que repercute positivamente por onde passa, plantando e colhendo bons frutos.  “A Universidade da Bahia figura entre as muitas provas de que alcançamos nossos objetivos. Formamos um público multiplicador, mais reflexivo, que valoriza o cinema documental, em sentido oposto ao que o mercado mais preza, os filmes comerciais. Formamos realizadores, a partir das oficinas, assim como identificamos e revelamos talentos, democratizamos o acesso ao cinema documentário”, enumera Éderson.

A VIDA NÃO BASTA
A vida não basta, exibido na Cinedocumenta de 2014, leva a assinatura de Pedro Ferrarini e Caio Tozzi, que esteve presente na sessão de lançamento da Mostra no ano passado. Inspirado na frase “A arte existe porque a vida não basta”, do poeta maranhense Ferreira Gullar, o longa A vida não basta vai ao encontro de nove artistas de diferentes áreas para descobrir por que é preciso criar para a vida ir além. Entre eles estão, a atriz Denise Fraga, o escritor Milton Hatoum, o estilista Ronaldo Fraga e o cantor e compositor Toquinho.

 

No Comments

Post A Comment