Exibição de curta produzido por alunos de Belo Oriente marca o último dia da 11ª Cinedocumenta

Exibição de curta produzido por alunos de Belo Oriente marca o último dia da 11ª Cinedocumenta

 

Produtores de "O canto do Galo, o Belo Oriente e o Laço do Boi" foram destaque da Mostra

Éderson Caldas apresenta produtores de “O canto do Galo, o Belo Oriente e o Laço do Boi” ao público

A Mostra de Cinema de Ipatinga – Cinedocumenta, trouxe, na noite do último domingo (1), em sua programação de encerramento, a exibição de Waterfall dark, curta produzido pelos alunos da oficina de audiovisual Cocriativa. O filme, em forma de jogo, é um convite à reflexão sobre a utilização da água sem desperdício.

Após a apresentação do filme, os alunos receberam certificado de participação no curso, que foi ministrado pelos produtores, Gabriela Gois e Vinicius Cabral.  A dupla contou com o apoio de Vitor Drumond na produção de Waterfall dark.

A entrega dos certificados foi feita por Márcia Rocha, Analista de Relações Institucionais do Instituto Cenibra, patrocinadora da Cinedocumenta, via Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Ainda no encerramento da Mostra, realizado na Praça Severo Lourenço da Costa, em Belo Oriente, foi exibido No Meio do Rio, Entre as Árvores, de Jorge Bodanzky. A atração foi antecedida por Flor Brilhante e as Cicatrizes da Pedra, de Jade Rainho, exibido na comunidade do Achado. A sessão foi comentada pelo jornalista e documentarista Sávio Tarso.

Os diretores, Júlia Teles e Paulo Fonseca, durante sessão na Faculdade Pitágoras

Os diretores, Júlia Teles e Paulo Fonseca, durante sessão na Faculdade Pitágoras

BALANÇO

Em cinco dias da Mostra de Cinema, passaram pelas telas da Cinedocumenta mais de 20 filmes vindos de todo o Brasil e nos mais diversos formatos. Muitas obras foram apresentadas por seus próprios diretores vindo de outros Estados, como foi o caso de Uma História de Amor e Fúria, longa de abertura do evento, que contou com a participação de Luiz Bolognesi (SP); Trindadeiros, do produtor Renato Zakata (SP), que prestigiou toda a programação da Mostra; Brasil Orgânico, representado pela diretora, Lícia Brancher (SC); Terra Reinventada e Grande Hotel, filmes exibidos em sessão comentada na Faculdade Pitágoras, por seus respectivos diretores, Júlia Teles (RJ) e Paulo Murilo Fonseca (SP); e Feito Torto pra Ficar Direito, de Bhig Villas Bôas (SC), que também participou de sessão comentada sobre o seu documentário.

Renato Zakata apresentou seu filme, "Trindadeiros", à comunidade de Bom Jesus do Bagre

Renato Zakata apresentou seu filme, “Trindadeiros”, à comunidade de Bom Jesus do Bagre

Bom Jesus do Bagre recebeu Cinedocumenta

Bom Jesus do Bagre recebeu Cinedocumenta

Cinema Eficiente trouxe em sua programação produções locais

Cinema Eficiente trouxe em sua programação produções locais

"Flor Brilhante..." foi exibido no Achado

“Flor Brilhante e as Cicatrizes da Pedra” foi exibido no Achado

 ITINERANTE

A Cinedocumenta contemplou espaços importantes em Ipatinga, como o Centro Cultural Usiminas, a Fadipa, a Faculdade Pitágoras e a Escola Altina Olívia Gonçalves. Em Belo Oriente, a Mostra de Cinema movimentou a sede e as comunidades de Bom Jesus do Bagre, São Sebastião de Braúnas e Cachoeira Escura, além do Achado, em Santana do Paraíso, onde o evento também foi realizado.

“Podemos afirmar, com toda certeza, que a 11ª Cinedocumenta, mais uma vez, cumpriu com os seus propósitos. Apresentamos ao público filmes importantes da produção nacional, inclusive premiados, como foi o caso do História de Amor e Fúria, que conquistou o prêmio Annecy, o maior de animação no mundo, e Feito Torto pra Ficar Direito, que, em Belo Oriente, fez sua primeira exibição após ter sido premiado em Mônaco. Tivemos também a exibição de produções locais, obras de diretores que passaram por oficinas da Cinedocumenta. Exibimos ainda um trabalho muito especial criado por filhos de Belo Oriente, O Canto do Galo, o Belo Oriente e o Laço Do Boi, de Luana Silva, além do curta produzido pelos alunos da oficina deste ano, um estímulo aos realizadores estreantes”, avaliou o idealizador, realizador e coordenador da Mostra, Éderson Caldas.

Fotos: Ricardo Alves e Rodrigo Zeferino (Grão Fotografia)

No Comments

Post A Comment